em

Script – Parte 25 (Série R na Prática)

A explicação do script a seguir está no artigo R na Prática – Parte 25.

hquebras=function(x){
   n=length(x)
   nc=ceiling(1+3.222*log10(n))
   zc=(max(x)-min(x))/nc
   quebras=c(rep(0,(nc+1)))
   for (i in 1:(nc+1)){
   quebras[i]=min(x)+(i-1)*zc}
   return(quebras)
}
setwd("C:\\geoStats\\dados\\jura_goovaerts")
dados=read.csv("jura_prediction.CSV",sep=";",
header=TRUE)
#setwd("C:\\geoStats\\figuras\\chap3")
#jpeg("Fig3_13.jpeg",width=5,height=5,
#units="in",res=300)
par_atuais<-par(no.readonly=TRUE)
par(mfrow=c(2,2))
hist(dados$Cd,col="yellow",xlab="Cd (ppm)",
ylab="Frequência",breaks=hquebras(dados$Cd),
main="Distribuição de Cd (ppm)")
hist(dados$Pb,col="red",breaks=hquebras(dados$Pb),
main="Distribuição de Pb (ppm)",
xlab="Pb (ppm)",ylab="Frequência")
hist(dados$Zn,col="blue",
main="Distribuição de Zn (ppm)",
xlab="Zn (ppm)",ylab="Frequência")
hist(dados$Ni,col="green",
main="Distribuição de Ni (ppm)",
xlab="Ni (ppm)",ylab="Frequência")
par(par_atuais)
#dev.off()
Jorge Kazuo Yamamoto

Escrito por Jorge Kazuo Yamamoto

Prof. Dr. Jorge Kazuo Yamamoto, fundador da Geokrigagem, é geólogo, foi pesquisador do IPT e docente do Instituto de Geociências da USP, onde se aposentou como Professor Titular do Departamento de Geologia Sedimentar e Ambiental. Atualmente, atua como Professor Sênior do Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo – Escola Politécnica – USP. É responsável pela disciplina “Métodos geoestatísticos” na Pós-Graduação do IPT – Investigação do subsolo: Geotecnia e Meio Ambiente. Dedica-se ao ensino de geoestatística, com ênfase no desenvolvimento de algoritmos e pesquisa de novas aplicações, tais como: variância de interpolação, cálculo da variância global de depósitos minerais e correção do efeito de suavização da krigagem. Ultimamente, seu interesse está voltado para o ensino e divulgação da linguagem R.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Script – Parte 24.1 (Série R na Prática)

R na prática – parte 26