em , ,

R na prática – parte 26

Gráficos em R

1.3.6  Função barplot()

O diagrama de barras obtido com a função barplot() é uma alternativa ao histograma, mas essa função pode ser usada para representações de múltiplas variáveis, como se apresenta no exemplo de aplicação. Porém, antes de prosseguir, descreve-se a função e seus argumentos, de acordo com a Tabela P26.1.

Tabela P26.1: A função barplot() e os argumentos relevantes.

Da lista de argumentos, height é o mais importante na construção de diagrama de barras. Em vista disso, esse argumento é detalhado no Script P26.1, onde o argumento height recebe vetor ou matrizes de diversas formas.

O primeiro diagrama de barras é o resultado de um vetor com alturas iguais a 1, 2 e 3. Os três exemplos seguintes se referem à opção de barras empilhadas com diferentes configurações da mesma matriz, como se detalha nos scripts seguintes.

No primeiro e segundo casos (Script P26.2), os elementos das colunas são passados para o argumento height e empilhados em barras proporcionais à soma. No último caso (Script P26.3), a matriz é transformada em proporções com soma igual a 1, onde os elementos das linhas são representados como barras empilhadas.

Outro exemplo de aplicação da função barplot() se refere à plotagem de diagrama de barras, mas com dados composicionais simulados para os teores de Cu, Zn e Pb. Os dados composicionais para esse exemplo foram obtidos a partir da instalação do pacote “compositions”, que disponibiliza vários conjuntos de dados, entre os quais o conjunto chamado “SimulatedAmounts”, de acordo com Boogaart e Tolosana-Delgado (2006, p. 120).

Do total de 60 amostras, metade delas foi salva como arquivo csv (cdata30.csv). O Script P26.4 faz a plotagem das barras empilhadas com base nos dados composicionais de Cu, Zn e Pb.

Para a leitura correta do arquivo, faça a adequação do diretório em que estiver gravado o arquivo de dados cdata30.csv, por meio do comando setwd(), conforme a linha 1. Caso o Leitor queira direcionar a saída gráfica para um dispositivo do tipo jpeg, deve-se tirar os comentários (#) das linhas 6-8 e da linha 11, lembrando que o diretório também deve estar compatível com a organização do seu computador (linha 6).

Referência bibliográfica

Boogaart, K.G.V.D.; Tolosana-Delgado, R. 2006. Compositional data analysis with R and the package compositions. In: Buccianti, A.; Mateus-Figueiras, G.; Pawlowsky-Glahn, V. (eds) Compositional data analysis in geosciences: from theory to practice. London, Special Publications, 264, p. 119-127.

Próximo artigo

No próximo artigo, iremos mostrar a função qqplot() da linguagem R para fazer a comparação entre duas distribuições de dados.

Jorge Kazuo Yamamoto

Escrito por Jorge Kazuo Yamamoto

Prof. Dr. Jorge Kazuo Yamamoto, fundador da Geokrigagem, é geólogo, foi pesquisador do IPT e docente do Instituto de Geociências da USP, onde se aposentou como Professor Titular do Departamento de Geologia Sedimentar e Ambiental. Atualmente, atua como Professor Sênior do Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo – Escola Politécnica – USP. É responsável pela disciplina “Métodos geoestatísticos” na Pós-Graduação do IPT – Investigação do subsolo: Geotecnia e Meio Ambiente. Dedica-se ao ensino de geoestatística, com ênfase no desenvolvimento de algoritmos e pesquisa de novas aplicações, tais como: variância de interpolação, cálculo da variância global de depósitos minerais e correção do efeito de suavização da krigagem. Ultimamente, seu interesse está voltado para o ensino e divulgação da linguagem R.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Script – Parte 25 (Série R na Prática)

R na Prática – Parte 27