em ,

Geoestatística no R – Lição 18: pacote “sp”

A primeira lição de geoestatística é uma introdução à realização de dados espaciais em R, e à manipulação do pacote sp. Os conceitos básicos oferecidos por “sp” são essenciais para trabalhar com dados espaciais em R.

Os dados espaciais referem-se ao sistema de coordenadas geográficas, isto é,  à  atual localização física da terra. Os fenômenos espaciais podem ser considerados como locais discretos ou como um fenômeno contínuo. Os Locais discretos têm limites conhecidos e definíveis, como um rio, estrada, país ou site de pesquisa e são representados por dados vetoriais. Os fenômenos contínuos são frequentemente referidos como “campos espaciais” que não possuem limites naturais, como temperatura, elevação, entre outros, e são representados por um raster.

 

 

Como usar o Pacote “sp”

O pacote sp tem três tipos principais de dados espaciais, que são: pontos, linhas e polígonos. Para representar os dados espaciais, sp define um conjunto de classes com nomes que começam com Spatial. Para dados vetoriais, os tipos básicos são SpatialPoints, SpatialLines e SpatialPolygons. Existem também SpatialPolygonsDataFrame e SpatialPointsDataFrame, que são usados para armazenar atributos. Lembre-se de que os atributos de um objeto fornecem informações específicas sobre o próprio objeto.

 

 

SpatialPoints

Os pontos são o caso mais básico, são gerados a partir de uma coordenada ou conjunto de coordenadas. No exemplo a seguir, criamos manualmente um objeto vetorial de pontos arbitrários como coordenadas, que serão então formados em uma matriz de duas colunas de dados, uma coluna para a latitude e uma coluna para o comprimento. finalmente, é convertido em um objeto espacial com a função SpatialPoints e os pontos são plotados.

 

 

 

Como criar um objeto no R

Os pontos em um objeto SpatialPoints podem ser usados para criar um objeto SpatialPointsDataFrame, que contém um quadro de dados de valores associados com os pontos de coordenadas. Os valores (ID) são obrigatórios, para coincidir com os nomes das linhas no quadro de dados.

 

Como podemos ver, o sistema de referência de coordenadas (CRS) é desconhecido (NA). O CRS fornece uma maneira padronizada para descrever locais. Para gerar o CRS, usaremos ‘+ proj = longlat + datum = WGS84’ (WGS84 Latitude / longitude). Veja CRS-class e o pacote proj4 para obter mais detalhes sobre quais cadeias usar.

 

SpatialLines

As linhas são representadas como um grupo ordenado de coordenadas e são geradas a partir de uma matriz, como a criada no exemplo SpatialPoints. É muito importante ter em conta que a ordem dos pontos é importante, porque precisamos saber quais pontos devem ser conectados.

 

SpatialPolygons

Um polígono é um conjunto de linhas fechadas. No nosso exemplo de SpatialLines, observamos que fechamos as linhas e um polígono foi criado, devido ao fato de que, para fechar um polígono, o último par de coordenadas coincide com o primeiro par.

 

 

 

 

Interessado em Geoestatística? Confira este treinamento para você:

 

 

Avatar

Escrito por Equipe Geokrigagem

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...

0

Geoestatística no R – Lição 17: ggplot2 (diagrama circular)

Geoestatística no R – Lição 19: pacote “raster”