em , ,

R na Prática – parte 3 – Elementos de Programação em Linguagem R

Comandos Básicos e Essenciais

Seguindo o artigo anterior, a seguir, tem-se os comandos básicos e essenciais da linguagem R, que permitem executar as funções e aplicar os operadores. Os comandos serão mostrados como estivessem digitados no script e, em seguida, selecionados e executados usando o ícone de executar linha ou seleção.

Por isso, não vai aparecer o sinal > (prompt) do console. Esta revisão foi feita com base em três referências: Paradis (2005); Owen (2010) e Venables et al. (2020). Além desses, foram utilizados os recursos da rede de computadores, notadamente os documentos disponibilizados em www.rdocumentation.org.

Assim, as devidas citações na descrição dos comandos serão suprimidas, exceto destaques importantes. Sugere-se ao Leitor, que não tem familiaridade com a linguagem R, executar os comandos, como se expõe neste capítulo.

Na verdade, o objetivo é proporcionar ao Leitor o aprendizado da linguagem R em três passos (Figura 3). A proposta consiste no seguinte: 1) execute os scripts sugeridos; 2) modifique ou adapte os scripts para os seus próprios dados; 3) escreva os seus próprios scripts. Lembrando que os scripts apresentados neste capítulo bônus são apenas uma pequena amostra do conteúdo do novo livro.

Figura 3

Antes de prosseguir, a ajuda sobre funções e pacotes pode ser obtida com qualquer um dos comandos a seguir:

Código 1

Ao executar este comando, o R direciona para a página correspondente na web, geralmente para o sítio www.rdocumentation.org.

Comandos de atribuição

O R, ao contrário de outras linguagens de programação, oferece vários comandos de atribuição, que não é equivalente ao sinal de igual em matemática. Os comandos básicos são: <- (menor e traço) e = (igual). Além desses, Venables et al. (2020, p. 7) apresentam o comando assign(). Todos os códigos exemplos são mostrados como estão digitados no script e os resultados da execução do console.

No console, o código em R sempre aparece em vermelho e o resultado em azul. Para aplicar o código, copie as linhas em vermelho sem o sinal de prompt (>) e execute selecionando uma ou mais linhas e clicando no ícone para executar seleção. Para demonstração dos tipos de comandos de atribuição, as variáveis x, y e z recebem valores numéricos iguais a 6.44, 6.45, e 6.46, respectivamente:

Código 2

Nesse script, você viu um comando novo dentro da função print(). Trata-se da função de concatenação c(), que poderá perceber a sua importância com o prosseguimento desta série de artigos. Esta função faz a atribuição dos elementos inseridos na função c() para um vetor. Assim, no comando print(), a função c() fez a combinação de valores para um vetor contendo: (6.44, 6.45, 6.46).

Vale lembrar que o R distingue entre letras maiúsculas e minúsculas. Assim, x é diferente de X. Apesar de x ter sido denominado variável, na realidade é um objeto. A linguagem R trabalha com objetos.

Próximo artigo

Na sequência, vamos falar sobre leitura e gravação de arquivos no R. Nesta série, vamos tratar da leitura e gravação de arquivos CSV do Excel. Trata-se de um padrão a ser adotado que facilita bastante o nosso trabalho.

Referências bibliográficas

Owen, W.J. 2010. The R guide. Richmond, Department of Mathematics and Computer Science. 57p. https://cran.r-project.org/doc/contrib/Owen-TheRGuide.pdf. Acessado em 03/04/2020.

Paradis, E. 2005. R for beginners. Montpellier, Institut des Sciences de l´Évolution. 72p. https://cran.r-project.org/doc/contrib/Paradis-rdebuts_en.pdf. Acessado em 03/04/2020.

Venables, W.N. ; Smith, D.M.; R Core Team. 2018. An introduction to R. https://cran.r-project.org/doc/manuals/r-release/R-intro.pdf. Acessado em 03/04/2020.

Jorge Kazuo Yamamoto

Escrito por Jorge Kazuo Yamamoto

Prof. Dr. Jorge Kazuo Yamamoto, fundador da Geokrigagem, é geólogo, foi pesquisador do IPT e docente do Instituto de Geociências da USP, onde se aposentou como Professor Titular do Departamento de Geologia Sedimentar e Ambiental. Atualmente, atua como Professor Sênior do Departamento de Engenharia de Minas e de Petróleo – Escola Politécnica – USP. É responsável pela disciplina “Métodos geoestatísticos” na Pós-Graduação do IPT – Investigação do subsolo: Geotecnia e Meio Ambiente. Dedica-se ao ensino de geoestatística, com ênfase no desenvolvimento de algoritmos e pesquisa de novas aplicações, tais como: variância de interpolação, cálculo da variância global de depósitos minerais e correção do efeito de suavização da krigagem. Ultimamente, seu interesse está voltado para o ensino e divulgação da linguagem R.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

R na prática – Parte 2 – Elementos de Programação em Linguagem R

R na Prática – parte 4 – Elementos de Programação em Linguagem R